Solicite um Orçamento

BLOG

FOTOaPÉ no Cemitério do Bonfim em BH

Categoria: FOTOaPÉ, Sobre Fotografia
Neste fim de semana, no domingo 29 de julho de 2018, fizemos o FOTOaPÉ no Cemitério do Bonfim. Fazer uma caminhada fotográfica no cemitério é estranho? Ah, esta não foi não! O Bonfim foi o primeiro cemitério de Belo Horizonte, inaugurado mesmo antes da cidade e guarda uma profunda relação com a capital mineira. Muito da história Belo Horizontina pode ser contada através das lápides, dos documentos e principalmente dos “moradores” do Bonfim e suas famílias.
O passeio foi ainda melhor pois fomos guiados por historiadores do projeto Visitas Guiadas ao Cemitério do Bonfim, um projeto desenvolvido através de uma parceria entre a Universidade do Estado de Minas Gerais, UEMG, a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, FPM e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, IEPHA. Nossa guia de hoje foi a Marcelina das Graças de Almeida, professora UEMG, uma das responsáveis pelo projeto.
Estas visitas guiadas são mensais e sempre com roteiros diferentes. Hoje o percurso estabelecido pela Professora Marcelina prestigiou o esporte e percorreu o cemitério em busca das histórias dos grandes atletas, técnicos, incentivadores e personalidades que fizeram história no esporte mineiro e que estão enterrados lá. Histórias como a do jogador do Cruzeiro Roberto Batata que morreu em 1976 em um acidente de carro no meio da Copa Libertadores da América. Mesmo muito abalados os jogadores do time celeste continuaram a campanha e conquistaram o primeiro título da Libertadores do Cruzeiro.
Também da história do menino Caio que morreu em julho de 1938 e é tido até hoje como um exemplo de coragem e bravura entre os escoteiros Brasileiros. Seu grupo viajava de trem, à noite, de BH para SP e sofreu um grave acidente próximo a cidade de Barbacena. Caio, que havia tomado uma pancada forte na lombar, reuniu forças e comandou a ajuda aos feridos e a procura de alguns companheiros desaparecidos. Quando a ajuda chegou ele, vendo que não havia macas suficientes para todos os feridos, não quis ser socorrido e disse a frase “Um Escoteiro caminha com as próprias pernas”. Chegando na cidade mais próxima ele começou a passar mal e foi levado ao hospital onde veio a falecer devido a uma forte hemorragia causada pelo rompimento de vísceras.
Ficamos sabendo também de fatos históricos, lendas e tantas outras histórias que merecem vários posts, ou melhor, merecem mais visitas guiadas ao Bonfim.
Para quem quiser mais informações sobre estas visitas veja o link abaixo:
Visitas Guiada ao Cemitério do Bonfim.
Para quem quiser participar do FOTOaPÉ clique no link abaixo e solicite a participação no grupo. É gratuito.
Solicite a sua participação no FOTOaPÉ  AQUI
Seguem abaixo algumas fotos feitas durante o passeio.
  

Comente aqui!

Seu comentário é muito importante para nós. Separador

Olá, podemos conversar?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o nosso trabalho, é hora de agir!